segunda-feira, 27 de março de 2017

Acidente com “avião fantasma” no Canadá deixa autoridades perplexas

Acidentes envolvendo pequenas aeronaves não são o que podemos chamar de raridade hoje em dia, certo? Vira e mexe ficamos sabendo de um avião que caiu aqui ou ali, seja por pane mecânica ou imperícia do piloto e, infelizmente, quase sempre esses incidentes resultam em vítimas fatais. Aliás, essa é uma das primeiras informações que circulam quando um desastre aéreo acontece: o número de ocupantes e se houve ou não algum sobrevivente.

É por essa razão que um acidente que aconteceu na semana passada no Canadá é tão intrigante! Segundo Justin Westbrook, do portal Jalopnik, na noite da última quarta-feira (15), um Cessana 172 caiu a 60 quilômetros da cidade de Marathon, em Ontário. Mais precisamente, o monomotor despencou na neve, em uma área situada nas imediações da margem norte do Lago Superior — só que ninguém foi encontrado na fuselagem. E tem mais...




















Os peritos que foram até o local do acidente para investigar o que havia acontecido não só se depararam com a aeronave completamente vazia, como não encontraram qualquer pegada ou rastros na neve ao redor ou nas proximidades do Cessna. Absolutamente nada. Nem sinal de ninguém. É como se se tratasse de um avião fantasma!

Cadê o piloto?

De acordo com Justin, o acidente está sendo investigado por autoridades norte-americanas e canadenses e, até o momento, foi apurado que a aeronave estava com o piloto automático acionado quando caiu, e que a queda aconteceu depois de ela ficar sem combustível.

Além disso, segundo o plano de voo, o Cessna teria partido da cidade de Ann Arbor com destino a Harbor Springs, ambas localidades situadas no estado norte-americano de Michigan, mas, por alguma razão, foi parar no Canadá. As investigações também apontaram que o monomotor foi alugado por um estudante da Universidade de Michigan, cujo paradeiro atual é desconhecido. A identidade do sujeito não foi divulgada.
Mas, e o piloto? Tudo indica que ele seria a mesma pessoa que alugou a aeronave. No entanto, como é que nem sinal dele foi encontrado no local do acidente? Ademais, como é que ninguém percebeu que o monomotor desviou do plano de voo original e acabou caindo em outro país?

Teria o sujeito sido louco o suficiente para saltar sobre o lago durante o voo — perto da meia-noite, (ainda) no inverno e em uma região conhecida pelas temperaturas congelantes nessa época do ano — e deixado o Cessna seguir adiante sozinho? Se esse foi o caso, qual seria o propósito? Ou teria algo muito sinistro ocorrido na viagem?

créditos: megacurioso

Nenhum comentário:

Postar um comentário