quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Origem Sombria dos Desenhos da Disney pt.2

Enrolados

Lançado em 2010, o filme “Enrolados” traz a história de Rapunzel, a jovem das longas madeixas que tem uma mãe supercontroladora que a mantém trancafiada em uma torre. Na animação, Rapunzel se apaixona por um rapaz — que a ajuda a escapar de seu cativeiro — e, depois de enfrentar alguns contratempos, descobre que é uma princesa e se casa com o mocinho, mas...

O conto original é de autoria dos Irmãos Grimm, e em sua versão, o rapaz é um príncipe que escala a torre e Rapunzel acaba grávida. Então, a mãe (que na verdade é uma bruxa) descobre tudo, corta o cabelo da jovem e o pendura na janela para atrair o moço — que cai na armadilha e se depara com a bruxa malvada. Apavorado, o príncipe pula pela janela da torre, cai sobre um espinhal, fica cego e passa a vagar perdido pela floresta.

Algum tempo depois, Rapunzel dá à luz gêmeos e, um belo dia, enquanto canta para os filhos, o rapaz, encantado com a voz dela, segue o som até finalmente encontrá-la. A mocinha fica tão feliz em rever o seu amor que chora de alegria, e as lágrimas de felicidade acabam curando a cegueira do príncipe. Por fim, ele leva Rapunzel e os gêmeos de volta para o seu reino, e todos (menos a bruxa) vivem felizes para sempre.



O Corcunda de Notre Dame

Na animação da Disney, de 1996, Quasimodo, o corcunda encarregado de tocar o sino da Catedral de Notre Dame, se apaixona pela cigana Esmeralda, que é o objeto de desejo de Febus, capitão da guarda do juiz Claude Frollo. A moça passa a ser perseguida pelos homens de Frollo (que odeia os ciganos), é salva por Febus, o corcunda desiste dela, entende o amor que existe entre Esmeralda e o capitão e acaba se transformando no herói da história, mas...


O filme foi baseado no conto “O Corcunda de Notre Dame”, de Victor Hugo, e na versão original as coisas não acabam muito bem. No livro, Esmeralda não escapa das garras de Frollo (que aqui é um diácono apaixonado pela moça) e é enforcada, e Quasimodo assiste à sua execução desesperado. Enfurecido, o corcunda mata o vilão e chora ao lado do corpo sem vida da cigana até morrer de fome.

A Bela e a Fera

“A Bela e a Fera” foi para as telonas em 1991 e não é assim tão diferente do conto original, de Gabrielle-Suzanne Barbot de Villeneuve. Na versão da Disney, o príncipe é transformado em uma fera por uma bruxa malvada e, para reverter o feitiço, ele precisa amar alguém e ter seu amor retribuído. Assim, ele aprisiona Bela em seu castelo, deixa que a moça vá embora, ela retorna, confessa estar apaixonada pelo monstro, e a fera volta a ser príncipe, mas...

No livro de Villeneuve, Bela tem duas irmãs malvadas que morrem de ciúmes da moça. Assim, quando a fera a libera durante apenas uma semana para fazer uma visitinha à família, a dupla do mal tenta persuadir a jovem a ficar por mais tempo — para, assim, enfurecer o monstro e fazer com que ele devore Bela viva quando ela finalmente retornar ao castelo.

Mulan

A Disney se inspirou em uma antiga lenda chinesa chamada Hua Mulan para criar sua animação de 1998. No longa, a protagonista, com a ajuda de um dragão em miniatura chamado Mushu — que é seu guardião espiritual —, se disfarça de guerreiro para lutar no lugar de seu pai no exército. Tudo dá certo, ela se apaixona por um general, retorna para sua família e todos vivem felizes para sempre, mas..


Na história original, depois de retornar para casa, Mulan descobre que sua família perdeu tudo durante o período em que ela esteve longe, e sua única chance de sobrevivência é se tornar uma concubina. Inconformada com a ideia de ter que se prostituir para ganhar a vida, a moça comete suicídio.

créditos:megacurioso

Nenhum comentário:

Postar um comentário