sábado, 23 de janeiro de 2016

5 Lendas Urbanas Coreanas

Lendas urbanas são coisas que nos assustam e nos encantam ao mesmo tempo. As histórias variam de cultura para cultura e se transformam em algo diferente a cada boato espalhado. Existem algumas lendas bastante similares em diversas localidades do planeta mas, cada cultura apresenta pequenos detalhes arrepiantes de cada lenda urbana.

Apesar do nome, uma lenda urbana não necessariamente tem origem em uma área urbana. O termo é usado para diferenciar lendas modernas do tradicional folclore da época pré-industrial. Por esta razão, muitos preferem o termo “lenda contemporânea”.

Muitas pessoas frequentemente alegam que tais contos aconteceram com um “amigo de um amigo”, frase que tornou-se comum ao narrar este tipo de história. Conheça as 5 lendas urbanas coreanas mais assustadoras que as japonesas:

Fantasmas de familiares mortos



Diversos programa de TV coreanos falam sobre assombrações e encontros com o paranormal. (Este tipos de assunto é extremamente popular durante o verão coreano). Existem diversas lendas que afirmam que quando uma pessoa morre, ela não deixa seus entes queridos imediatamente.

Um caso famoso na mídia de lá foi o de uma família a matriarca da família havia falecido. O neto da mulher morta disse que ele sonhou que sua avó estava chamando-o enquanto ela estava cercada de água até a cintura. Por alguma razão, ele não foi ao encontro de sua avó no sonho.

De acordo com as tradições coreanas, quando um morto chama um vivo em seus sonhos, é um sinal claro de que sua alma está sendo roubada. O neto disse que ele continuava a ter o mesmo sonho noite após noite. Para encerrar os pesadelos, a família se livrou de todos os pertences da velhinha e prestaram uma homenagem para ela. Assim, os sonhos cessaram.
O fantasma da virgem

Histórias de fantasmas virgens estão espalhados por todo o mundo. Na Coreia, eles são chamados de Cho-Nyo-Gwishin (처녀 귀신). Esses fantasmas frustrados são encontrados em prédios abandonados, especialmente em hospitais, escolas, casas de banho, cemitérios e áreas arborizadas.

Esses fantasmas quase sempre têm cabelos longos cobrindo seus rostos. Eles também são carrancudos e geralmente vestem trajes brancos. Você vai saber quando você está na presença de um fantasma quando sentir uma mudança brusca de temperatura, o vento muda de direção repentinamente e sentir arrepios repentinos.

Uma história que ficou marcada na Coreia foi a de um homem que viveu no mais alto andar de um prédio de apartamentos. (Na Coreia, não há elevador em prédios de apartamentos mais velhos, assim, você teria que descer todos os andares de escada). O homem acordou uma noite com alguém batendo na sua porta.

Ele perguntou quem era e uma voz disse que ele deveria fechar os olhos e contar mentalmente até 100 e não fazer nenhum som. Ele abriu a porta e não havia ninguém lá. Sendo um homem supersticioso, ele fechou os olhos e começou a contar até 100 em sua cabeça. Quando ele chegou a 49, o homem abriu os olhos por curiosidade. Na frente dele estava um Cho-Nyo-Gwishin olhando para ele.


O banheiro assombrado

Por alguma razão, os coreanos têm um monte de histórias sobre escolas assombradas, principalmente banheiros. As escolas coreanas mais antigas são definitivamente assustadoras. Elas tem longos corredores com escadas escuras, muitas vezes iluminados pela metade com luzes fluorescentes estéreis.

Os banheiros são mais propensos a serem decrépitos, velhos e escuros. Diversas pessoas usam esses locais para se matarem. Assim, as crianças e jovens coreanos que estudam nessas instituições afirmam que são escutados susurros e portas e janelas se fecham. As lendas também falam de um fantasma que emerge do banheiro e pergunta se você vai usar papel higiênico vermelho ou azul. Se você escolher vermelho, o fantasma vai cortá-lo você. Se você escolher azul, o fantasma vai sufocar você.



Caneta vermelha

Muitos supersticiosos coreanos proíbem canetas vermelhas em suas residências. Os coreanos dizem que se você escrever seu próprio nome em vermelho significa má sorte, ou até mesmo a morte. Tinta vermelha é usada para escrever o nome do falecido, não dos vivos.



Mercado negro de órgãos

Outra lenda urbana que circula com frequência na Coreia é a de que motoristas de táxi sedavam seus clientes, tiravam o seu rim e despejavam o corpo inconsciente no meio de um campo. A polícia minimizou a questão, explicando que é tudo uma farsa, mas muitas pessoas ainda permanecem desconfiadas.

créditos: fatosdesconhecidos

Nenhum comentário:

Postar um comentário