segunda-feira, 12 de outubro de 2015

A Verdadeira História de Procurando Nemo

Se ‘Procurando Nemo’ fosse cientificamente correto, a história do pai buscando seu filho seria bem mais bizarra – e incestuosa. É claro, não estamos discutindo que o desenho deveria retratar a realidade dos peixes-palhaço, afinal, trata-se de ficção, tem animais falantes e todos os elementos de uma história infantil. Mas, só por curiosidade, vamos apresentar como Nemo seria ‘na vida real’.

Está preparado psicologicamente? (na verdade não há como se preparar para isso)

De acordo com o blog especializado em peixes The Fisheries, quando a mãe de Nemo morresse, Marlin, seu pai, iria trocar de sexo – e, eventualmente, Nemo iria acasalar com seu pai ‘fêmea’. Como isso é possível?

Todos os peixes-palhaço são nascidos hermafroditas, com tecidos testiculares e ovarianos. O sexo dessa espécie de peixe só depende de qual dos tecidos é ‘encorajado’ a se desenvolver – e isso tem a ver com o ambiente que eles dividem com outros animais. Então se a fêmea morre, o macho ‘pai’ iria se transformar em uma fêmea para cumprir o papel de fêmea dominante (como funciona nas sociedades de peixe-palhaço).

Com o pai virando ‘fêmea’, Nemo, que é o único outro peixe-palhaço da redondeza, naturalmente iria se transformar em um macho. Caso o pai de Nemo morresse, o filhote se tornaria então uma fêmea dominante.

Créditos: revistagalileu

Nenhum comentário:

Postar um comentário