domingo, 21 de junho de 2015

Garotas Extremamente Violentas

Nevada-tan, a pequena assassina

No dia 1º de junho do ano de 2004, Natsumi Tsuji, de 11 anos, se desentendeu com sua colega Satomi Mitarai, de 12 anos e a degolou com seu estilete. Depois disso voltou à aula como se nada tivesse acontecido.

Garota é idolatrada no Japão e ganhou até versões em desenho

No dia do crime, testemunhas relataram que a menina usava um moletom da Universidade de Nevada e, por isso, surgiu o apelido de “Nevada-tan”, significando algo como “a pequena Nevada”. A garota ficou famosa, ganhando versões em desenho e até mesmo cosplays.




Mary Bell, drogada e prostituída aos 4 anos

Com apenas 2 anos, a inglesa Mary Bell era diferente das crianças de sua idade. Não chorava ao se machucar e feria outras crianças, como a vez em que, aos 4 anos, tentou enforcar uma colega e explicou às professoras que sabia o que estava fazendo. No ano seguinte, presenciou a morte por atropelamento de um colega e disse que não sentia nada e, em 1968, com 11 anos, Mary matou dois meninos estrangulados, de apenas 3 e 4 anos.

Filha de uma prostituta viciada em drogas e com distúrbios psiquiátricos, Mary foi colocada para adoção  diversas vezes. A mãe costumava dar drogas a Mary, que chegou a ter overdoses terríveis e ainda obrigava a menina a se prostituir junto a ela desde os 4 anos de idade.

Vítimas de Mary Bell

Projeto de Suzane Richthofen 

Jasmine Richardson, de 12 anos, não gostou quando sua família tentou impedi-la de ver seu namorado, que era 11 anos mais velho. Os dois arquitetaram um plano e mataram o pai, a mãe e o irmão mais novo da garota, de apenas 8 anos. Em depoimento, eles contaram que o irmão implorou por sua vida: “Eu estou com medo. Eu sou muito jovem para morrer” , disse o garoto antes de sua irmã esfaqueá-lo no peito e o namorado cortar garganta dele.




Matou só para ver se era legal

Aos 15 anos, Alyssa Bustamante estrangulou, cortou a garganta e esfaqueou uma menina de 9 anos. O motivo? Ela “queria saber como se sentiria matando alguém”. Em seu julgamento, um trecho de seu diário foi lido: “Eu a estrangulei, cortei a garganta e a esfaqueei, então agora ela está morta. Eu não sei como estou me sentindo. Foi incrível. Logo que passa a sensação de ‘oh, meu Deus, eu não posso fazer isso’, é realmente prazeroso. Agora estou meio nervosa e tremendo. Tenho que ir para a igreja agora... (risos)”. 


Assassinada pelas amigas
Fabíola Santos Corrêa, de 13 anos, foi brutalmente assassinada por duas amigas da mesma idade, em Minas Gerais. Fabíola foi levada para um matagal e jogada no chão. Uma das adolescentes contou que encostou uma faca no pescoço da vítima, que tentou se defender. Durante a briga, a garota acabou sofrendo um corte no pescoço e caiu. Com a situação fora de controle, as outras adolescentes resolveram matá-la ali mesmo. Fabíola ainda foi agredida com um golpe de barra de ferro na cabeça.

Segundo o delegado que cuida do caso, uma das agressoras contou também que, com Fabíola já caída, as duas abriram o peito da garota e arrancaram o coração dela, que ainda batia.

Ataque ao colégio

Em janeiro de 1979, a escola Groover Cleveland Elementary School, em San Diego, Califórnia, foi alvo de um ataque. Vários tiros foram disparados contra a escola e o diretor, Burton Wragg, e o zelador, Mike Suchar foram mortalmente atingidos. A polícia logo cercou o local e, após 6 horas descobriram que o assassino era Brenda Spencer, uma adolescente de 16 anos.

Em declaração, Spencer disse que “não houve motivo e que foi só uma grande diversão”. “Foi como atirar nos patos de um lago. As crianças pareciam um rebanho de vacas andando por lá; foi fácil acertá-las ”, completou.

Créditos: megacurioso

Nenhum comentário:

Postar um comentário