terça-feira, 19 de maio de 2015

10 Criminosos Seriais Presos por Causa de Seus Desejos Bizarros

A viajante pilantra

Marilyn Hartman, 63 anos, gosta de voar, mas definitivamente não gosta de pagar por passagens aéreas. Ela tentou várias vezes embarcar sem pagar em aviões no Aeroporto Internacional de San Francisco e no Aeroporto Internacional Mineta em San Jose, tendo sido presa quase uma dúzia de vezes por isso. Só em agosto de 2014, ela foi detida três vezes por tentar esgueirar-se a bordo sem bilhete, levando-a a ser “persona non grata” em ambos os aeroportos.

Ser proibida em dois grandes aeroportos, no entanto, não parou Hartman. Em 9 de fevereiro de 2015, em Minnesota, ela conseguiu embarcar em um voo em direção a Jacksonville, na Flórida. Uma vez em Jacksonville, ela pegou um ônibus em direção a um resort e disse ao funcionário do hotel que estava com o pessoal do reality show americano The Biggest Loser. O hotel estava hospedando convidados do show, assim lhe deu acesso a um dos quartos. Quando o hóspede real apareceu, Hartman foi presa. No entanto, ela não foi considerada mentalmente competente para ser julgada, e as acusações contra ela foram retiradas.


O amante de manequins

Ronald Dotson começou a ter problemas com a lei em 1993, quando roubou três manequins de uma loja em Detroit. Todos os três estavam vestidos com lingerie, e Dotson foi preso no beco atrás da loja com eles. Ao longo dos próximos 14 anos, Dotson, que tem agalmatofilia (um apego ou admiração por estátuas), foi preso sete vezes por crimes envolvendo roubo de manequins. Sua última prisão foi em outubro de 2006, quando ele quebrou a janela de uma loja de material de limpeza e roubou um manequim vestido como uma empregada. Ele estava fora da prisão há menos de uma semana quando o incidente aconteceu.

Devido à sua alta taxa de reincidência, Dotson foi condenado a uma pena de 18 meses a 30 anos. O juiz observou que Dotson nunca fez mal a ninguém, mas seu tempo de cadeia foi estruturado de forma que as autoridades pudessem liberá-lo apenas quando perceberem que ele não vai voltar a cometer o mesmo crime.

O fanático pelo sistema de trânsito de Nova York

Um sintoma da síndrome de Asperger é que o indivíduo pode ficar obcecado com um tema. Para Darius McCollum de Nova York, foi o sistema de trânsito da cidade. McCollum se interessou nisso quando tinha 12 anos. Ele foi esfaqueado por um colega de escola e não queria voltar para lá, então passava tempo no metrô. Em algum momento, um trabalhador fez amizade com ele, e o garoto começou a frequentar a estação próxima de sua casa. O problema era que McCollum não estava satisfeito apenas em andar nos metrôs e ônibus. Ele queria conduzi-los. Quando fez 15 anos em 1981, ele convenceu um motorista de metrô a deixá-lo assumir o controle de um dos carros. Acabou preso durante o incidente.

Desde então, McCollum foi detido 29 vezes em 30 anos. Enquanto a maioria de seus crimes são inofensivos, ele roubou ou tentou roubar vários ônibus e vagões de metrô. O resultado é que ele passou mais de 16 anos na prisão, retornando para novos crimes cada vez que era solto – apesar de conhecer o sistema de trânsito melhor do que ninguém, o pessoal nunca iria dar-lhe um emprego e só lhe restava agir fora da lei. A mãe tentou ajudá-lo se mudando para a Carolina do Norte, mas McCollum continuava voltando a Nova York (e a seus ônibus e metrôs) sempre que podia. Depois de um julgamento em 2013 no qual ele admitiu ter roubado um ônibus, recebeu liberdade condicional e se ofereceu para receber terapia cognitivo-comportamental.

O louco por objetos infláveis

Edwin Tobergta de Hamilton, Ohio (EUA), foi preso pela primeira vez em 2002 por ter feito sexo com uma abóbora inflável que fazia parte de uma vitrine de Halloween. Em 2008, foi novamente condenado por indecência pública por um crime desconhecido. Por conta disso, recebeu cinco anos de prisão domiciliar – mas não conseguiu se controlar mesmo assim. Em agosto de 2011, roubou uma boia de piscina rosa de um de seus vizinhos, foi para um beco e teve “relações” com o objeto. O vizinho chamou a polícia, que prendeu Tobergta. Por algum motivo altamente não compreensível, o vizinho retomou a boia e a guardou.

Em 15 de julho de 2013, a tentação foi demais para Tobergta, e ele novamente roubou exatamente a mesma boia rosa. Mais uma vez, “fez amor” com ela – no meio do dia, enquanto crianças estavam na área. Logicamente, foi preso, se declarou culpado e recebeu 11 meses de prisão. Tobergta pediu desculpas no tribunal e disse que estava pronto para mudar de vida. Não se sabe se o vizinho jogou a boia fora desta vez, mas vamos cruzar os dedos.

O cagão serial

Desde maio de 2012, a polícia de Akron, Ohio, recebe relatos de alguém que defeca nos carros das pessoas. Às vezes, as fezes são jogadas no capô, enquanto outras vezes, o cocô é esfregado na maçaneta da porta. Se uma pessoa azarada deixa seu carro destrancado, o defecador não identificado deixa um presente indesejado no assento.

No geral, 19 pessoas fizeram queixas à polícia. No entanto, os relatórios são quase sempre feitos após o carro da vítima ter sido alvejado repetidamente. Por exemplo, o carro de uma mulher foi “vitimado” seis vezes diferentes. A polícia também acredita que poderia haver ainda mais incidentes que não foram notificados. Em março de 2015, uma vítima programou uma câmera para tirar uma foto a cada 12 segundos, finalmente tirando uma foto do criminoso com suas nádegas nuas penduradas sobre o capô de um carro. Com a imagem, a polícia de Akron esperava apreender o suspeito em breve.

O chupador de dedões

Joey Leaphart, da Carolina do Sul (EUA), levou o seu fetiche por pés longe demais. Ele costuma dizer que se aproxima de mulheres em locais públicos, como restaurantes e postos de gasolina, e pede para beijar seus pés ou chupar seus dedões. Se ele tem dinheiro, se oferece para pagar pelo privilégio. Se a mulher diz não, ele jura que deixa para lá. No entanto, isso não é exatamente verdade, porque ele é famoso por empregar alguns truques para conseguir o que deseja. Por exemplo, em uma ocasião, ele disse a uma jovem de 18 anos que estava com o programa de televisão “America’s Funniest Home Videos” e iria pagá-la se ela o ajudasse. Primeiro, ele perguntou se podia tirar uma foto de seu pé, e ela concordou. Então, ele perguntou se podia beijá-lo. Ela novamente concordou, pensando que era parte de um vídeo engraçado. O homem então começou a chupar seu dedão e ela gritou para ele parar. Leaphart não parou. “Tinha um gosto tão bom!”, ele afirmou, enquanto corria para fora da loja.

Leaphart foi preso várias vezes, tão recentemente quanto março de 2015. Em 2000, foi condenado por chupar os dedos do pé de uma menina de 11 anos de idade. Ele recebeu cinco anos de prisão por esse crime e foi colocado no registro de agressores sexuais dos EUA. Leaphart diz que é um vício, e que pararia se pudesse.


O cortador de bundas

O primeiro relato que um homem tinha cortado as nádegas de uma mulher em um centro comercial na Virgínia (EUA) apareceu em fevereiro de 2011. Em agosto, nove mulheres também disseram que um homem tinha cortado suas bundas com o que elas pensavam ser uma navalha ou um cortador de caixas. Em todos os casos, primeiro houve algum tipo de distração, como um cabideiro sendo derrubado e, em seguida, vinha o corte e a fuga. Felizmente, nenhuma das mulheres ficaram seriamente feridas, mas a polícia resolveu fazer uma força-tarefa para conseguir acabar de vez com o problema. Usando imagens de câmeras de vigilância, eles foram capazes de identificar Johnny D. Guillén Pimentel como o criminoso em setembro, mas ele havia desaparecido da área.

Mais tarde, foi visto em seu país natal, Peru, e preso. Em dezembro de 2012, ele foi entregue à Interpol e trazido de volta para os Estados Unidos para seu julgamento. Em setembro de 2013, se declarou culpado e recebeu uma sentença de 20 anos, mas 13 foram suspensos.


O masturbador de estrume

O coração quer o que o coração quer. E o coração de David Truscott quer estrume de vaca. Desde 2005, Truscott passou a visitar uma fazenda em Redruth, no Reino Unido. Na primeira vez, apenas levou estrume para casa. No entanto, isso não acalmou o seu desejo ardente, então ele começou a rolar no estrume e passar o cocô de vaca em si durante a execução de atos sexuais. Ele foi preso por suas travessuras em 2005, 2009 e 2011.

O povo da fazenda tentou impedir Truscott de voltar lá removendo o estrume do campo, mas isso só o enfureceu. Em 2013, ele ameaçou matar o pessoal da fazenda e colocou parte do local em chamas. O incêndio matou um bezerro. Truscott, que tem um transtorno do espectro do autismo, foi preso e condenado a 10 anos de prisão, onde vai receber tratamento psiquiátrico. Quando ele for solto, haverá uma ordem de restrição para ele ficar longe da fazenda.

O barbeiro maluco

Na véspera do Ano Novo de 2009, a polícia de Portland (EUA) respondeu a uma chamada emergencial estranha: uma mulher teve seus cabelos cortados involuntariamente em um ônibus. Jared Walter, 22 anos, foi preso. Após a notícia da prisão chegar à mídia, outras três mulheres também relataram que Walter tinha cortado e até mesmo colocado supercola em seu cabelo. Ele foi condenado a pouco mais de dois anos.

Menos de dois meses depois de ter sido libertado da prisão em 2013, sua mania tomou um rumo mais sombrio. Walter atacou novamente no ônibus, mas desta vez se masturbou e ejaculou no cabelo de pelo menos três mulheres. Ele recebeu mais dois anos de prisão. Foi solto no final de 2014 e banido do sistema de transporte da cidade, mas isso não foi suficiente. Fora da prisão por um mês na véspera de Ano Novo de 2014, ele tentou cortar o cabelo de uma mulher na fila de uma loja de câmbio. Foi preso novamente e está atualmente aguardando julgamento.

 O homem-dardo

O primeiro desses crimes estranhos aconteceu em 13 de junho de 1990 em Nova York: uma mulher relatou que alguém tinha atirado nas suas nádegas com um pequeno dardo caseiro. Enquanto o crime em si era estranho o suficiente, ela não foi a única vítima do homem da zarabatana. Desse dia até 7 de julho, 55 mulheres vestidas com saias ou traje de negócios foram picadas nas traseiras por um dardo. Felizmente, nenhuma ficou gravemente ferida.

A série de tiros chegou ao fim no dia 10 de julho, quando Jerome Wright, 33 anos, foi preso e três testemunhas o identificaram como o maníaco do dardo. Ele podia pegar até sete anos de prisão, mas suas acusações iniciais foram reduzidas a pequenos delitos, e ele não teve que passar qualquer tempo na cadeia.

Créditos: hypescience

Nenhum comentário:

Postar um comentário