sábado, 29 de novembro de 2014

Crianças Assassinas

Nevada Tan

Com apenas 11 anos, essa menina usou um estilete para cortar a garganta e os braços de uma garota de 12 anos, que morreu de hemorragia. Depois do crime, simplesmente voltou à sala de aula, com as roupas cobertas de sangue. O motivo, mais tarde admitido, teria sido o fato da vítima fazer cyberbullying com a assassina.

 

Christopher Pittman

Por culpa de um lar desestruturado, Pittman já falava sobre suicídio, brigava e  havia fugido de casa com apenas 12 anos, o que fez com que seus pais o levassem a um psiquiatra, que lhe deu antidepressivos dos quais fazia uso. Mesmo assim, o caso de disciplina do garoto não melhorava, e ele foi mandado para morar com os avós, de quem gostava.Entretanto, depois de ficar de castigo por se envolver numa briga, pegou uma espingarda do avô e matou o casal de idosos enquanto dormiam, botou fogo na casa e fugiu no carro do casal, curiosamente levando o cachorro. Foi sentenciado a 30 anos de prisão.

Mary Bell

Em 1968, Bell tinha 10 anos, mas já tinha o instinto assassino de um adulto, ao brutalmente enforcar um menino de 4 anos e abandonar seu corpo em uma casa vazia. A morte do garoto foi considerada acidental pelas mãos de Bell não terem deixado marcas, mas ela foi pega por repetir o ato com um outro garoto, de 3 anos, o qual ela não apenas estrangulou, mas também desfigurou com uma tesoura, deixando um “M” na barriga da vítima. Isso levou à sua captura, quando admitiu a morte do primeiro garoto e foi sentenciada à prisão até 1980.


Jamarion Lawhorn

Sofria violência e abusos por parte da mãe e do padrasto, e tentou recorrer à polícia, que o negligenciou. Em 2014, descontou sua raiva esfaqueando uma criança de 9 anos 4 vezes, aleatoriamente, num parque. Após o crime, ligou para a polícia e disse “eu acabei de esfaquear uma pessoa, por favor, venham me buscar e me matem”.



Michael Hernandez

No mais clássico estereótipo do nerd assassino, Hernandez era um aluno exemplar, mas um dia revelou seu lado reprimido, comemorando o aniversário de 14 anos com uma série de assassinatos planejados e anotados em seu diário.Seu plano consistia em chamar dois amigos para o banheiro e esfaqueá-los, mas somente um aceitou. O crime foi flagrado por um colega de sala, que alertou a equipe da escola. Quando as evidências foram encontradas, foi sentenciado à 30 anos por ter planejado os assassinatos, que além dos dois amigos, incluíam até sua irmã!


Amarjeet Sada

Com apenas 8 anos, esse garoto indiano já matava, e suas vítima eram meros bebês. Pra piorar, até entre a família fazia vítimas, como sua irmã e prima, que inicialmente foram acobertadas. Mas quando o garoto estendeu seu alcance para o bebê da vizinha. Como a lei indiana não permite que crianças vão para a cadeia, ele foi encaminhado para um lar de criação até a maioridade.



Jesse Pomeroy

Desde pequeno, costumava chamar “amiguinhos” para uma brincadeira diabólica: ele torturava as vítimas, amarrando-as, colocando mordaças e até mesmo chicoteando ou cortando suas vítimas no corpo e no rosto. Quando foi pego pela polícia, em 1872, tinha 12 anos, e foi sentenciado a seis anos em um reformatório, em Massachusetts. Entretanto, só cumpriu 1 ano e 5 meses da pena, por bom comportamento, por mais estranho que pareça.Pouco tempo depois que ficou livre, com 14 anos, torturou e assassinou uma garota de apenas 10 anos, e um menino mais novo ainda, com 4. Seu motivo, quando questionado, era que ele simplesmente “não conseguia evitar”.Apesar de ter sido sentenciado à morte, o juiz não quis promulgar a sentença, pela idade de Pomeroy. Sua morte só veio em 1932, aos 72 anos, ainda preso, em pena perpétua.



Dedrick Owens

O franco-atirador escolar mais jovem a atacar, com apenas 6 anos. Owens atirou em uma colega de classe de apenas 6 anos, depois tentando se esconder num banheiro. Foi pego pela polícia, mas, por sua idade, não foi julgado nem punido. Seu tio, responsável por deixar a arma num local em que Owens pôde pegá-la, foi sentenciado por homicídio culposo.





Créditos: fatosdesconhecidos

Nenhum comentário:

Postar um comentário