domingo, 27 de julho de 2014

Ás de Espadas

O Ás de espadas é conhecido como a carta da morte. Ninguém sabe por que essa carta se tornou associada com a morte, mas grande parte das culturas acredita que o ás de espadas é um mau agouro.


Em um final de tarde, duas jovens garotas chamadas Nicole e Tamara estavam sentadas na varanda dos fundos. Passavam o tempo jogando baralho na mesa da varanda. Estava escurecendo e a lua já estava visível no céu. Havia uma floresta e um pântano atrás da casa e o vento soprava suavemente através das árvores.

As garotas já estavam prestes a começar um novo jogo quando um homem alto apareceu saindo da escuridão. As duas nunca tinham visto o homem antes, e enquanto ele se aproximava mancando pela grama alta, elas sentiram um pouco de medo.

“Vejo que estão jogando cartas.” Ele falou.

As garotas assentiram.

“Importam-se se eu me juntar a vocês?” ele perguntou. “Posso ensinar um novo jogo.”

Tamara sacudiu a cabeça negativamente. Sua mãe sempre disse para não falar com estranhos. Além disso, o homem era muito assustador.

Mas a outra garota falou, “Tudo bem, acho chato jogar com apenas duas pessoas. Mostre-nos o seu novo jogo.”

Tamara a cutucou e sussurrou em seu ouvido, “Não quero jogar com ele. Vamos entrar.”

“Para com isso.” Nicole sorriu. “Para de agir feito um bebê. Fica aqui. Não quer aprender um novo jogo?”

Relutante, Tamara aceitou ficar. O homem alto pegou as cartas e começou a embaralhar.

“Não sei se vão gostar desse jogo,” ele falou com um largo sorriso, “mas sei que vou aprecia-lo imensamente.”

Ele distribuiu as cartas, um para cada garota e um para si mesmo. A carta de Tamara deslizou e caiu no chão virada para cima. Era um ás de espadas.

Quando Tamara se curvou para pega-la, ela viu que o homem estava descalço. Suas pernas eram longas e peludas e suas unhas curvadas. Um arrepio percorreu pelo seu corpo. Segurando o ás de espadas, ela começou a sentir um grande medo.

Ela começou a puxar a blusa de sua amiga e a implorar para saírem dali. Nicole recusou e pediu que Tamara fosse embora. Tamara correu para dentro de casa e trancou a porta. Correu para o andar de cima e entrou no quarto. Pegou o celular e ligou para a policia.

Quando os policiais chegaram, alguns minutos depois, Tamara os recebeu pela porta da frente e os levou para os fundos. Quando chegaram à varada, eles encontraram o corpo de Nicole caído em baixo da mesa. A pobre garota foi dividida ao meio. A cadeira onde ela estava sentada estava coberta de sangue. E havia um bilhete na mesa.

Ele dizia:

“Escapou da morte por um Ás de espadas!”






Créditos: creepypastasmacabras

~Carol

Nenhum comentário:

Postar um comentário