quarta-feira, 16 de abril de 2014

Transtorno de Identidade de Integridade Corporal

  Chloe é uma americana de 58 anos que sonha em ser paraplégica.
  Ela é fisicamente saudável, mas quer um cirurgião para cortar sua medula e perder os movimentos das pernas.

- Desde os 4 anos Chloe queria ser diferente e viver como uma pessoa deficiente.
- Ela gostava de brincar com as muletas da tia que sofreu um acidente
- Aos 9 anos ela causou um acidente proposital andando de bicicleta para tentar perder o movimento das pernas.
- Ela gosta de esquiar pelo risco de perder o movimento das pernas num acidente.
- Ela passa os dias numa cadeira de rodas, mas ainda é capaz de se levantar.
- Existe um médico disposto a fazer a vontade dela, mas ele cobra 16 mil dólares.
- Sobre a loucura dela, os psiquiatras questionam: O que é melhor ela viver numa cadeira de rodas ou se suicidar?
- Atualmente o sonho dela é sofrer um acidente de carro para conseguir realizar o sonho de perder as pernas.


  Chloe tem um distúrbio raro chamado Transtorno de Identidade de Integridade Corporal. Mas apesar de raro, ela não é a única.
  Quem sofre essa doença, rejeita alguma parte do corpo e pode fazer de tudo para amputar o que lhe incomoda.
  O transtorno não está no DSM, principal manual de psiquiatria, mas numa pesquisa feita em 2004 foram identificadas 52 pessoas no mundo com ele. Desses, 9 já tinham se amputado, 6 por conta própria e 3 com ajuda de um cirurgião.
Você pode estar chocado com o que está lendo, mas já deve ter ouvido falar nisso. Essa é a mesma insatisfação que tem os transexuais, que desejam amputar o seu pênis.
  Um cirurgião escocês chamado Robert Smith foi procurado por um paciente pedindo para que ele removesse sua perna esquerda, e depois de 18 meses ele decidiu fazer a operação. Apesar do escândalo, ele fez 3 operações do tipo e justifica que é mais seguro fazer a cirurgia do que o paciente fazer por conta própria.


Casos de pessoas que fizeram amputações sozinhas:


Robert Vickers, 67 anos -

Ele um dia faltou o trabalho, comprou gelo seco e foi a um depósito abandonado. Lá afundou a perna esquerda no gelo seco e deixou. Quando achou q estava irreversivelmente congelada acima do joelho, ele ligou para a mulher. Robert acordou depois no hospital com a perna amputada, e... feliz da vida.
Ele afirma que seu problema causa muita raiva em pessoas que perderam um membro acidentalmente, mas pra ele é só felicidade sem arrependimento.

Josh -

Tentou várias vezes arrancar a mão esquerda. Tentou colocar embaixo da roda de um caminhão, mas falhou. Tentou com uma faca, mas ela só rompeu os nervos sem cortar o osso, e ele só conseguiu depois com uma serra elétrica. Para não assustar a família, ele falou que foi um acidente.

  Um grande dilema médico, o Transtorno de Identidade de integridade corporal ainda não tem cura, o único jeito de evitar uma tragédia é fazendo a cirurgia.


Fonte: Medo B
~Rebian

Nenhum comentário:

Postar um comentário