segunda-feira, 7 de abril de 2014

Minha mãe me disse...

...para nunca abrir a porta do porão, mas eu queria ver o que fazia aquele barulho engraçado lá embaixo. Parecia o som de um filhote de cachorrinho e eu sempre quis ter um bichinho de estimação. Então eu a desobedeci e abri a porta do porão e desci as escadas. Eu só queria brincar um pouco com o cachorrinho.
Eu não vi o cachorrinho, e mamãe me puxou pelo braço. Ela gritou comigo para que nunca, nunca mesmo tentasse ir ao porão de novo. Minha mãe nunca tinha gritado comigo, então eu fiquei com muito medo e chorei, aí ela disse "filho, desculpa" aí me deu um biscoito. Era de chocolate e estava muito gostoso. Eu fiquei muito feliz e eu fui pro meu quarto, por isso eu não perguntei pra ela porque aquele menino estava fazendo um barulho de cachorrinho triste, e porque ele não tinha pés ou mãos.


  O relato acima foi dado por um garoto de oito anos (cujo nome foi mantido em anonimato para sua segurança) à equipe de psicólogos, após ter feito a mesma confissão para uma professora de seu colégio, que assustada, acionou a polícia. Os policias foram até a casa do menino, sob os olhares espantados dos pais, porém não encontraram nada, nem mesmo no porão. O relato da criança obviamente não pôde ser usado como prova e o caso foi arquivado.

Fonte: Dossiê
~Rebian

2 comentários: