quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Privação do sono

THUD.

THUD.

THUD.

  Ok, ok, estou acordado. Não preciso continuar tentando. Quero dizer, olhe para o relógio. É 03:10 da manhã, assim como ontem, e antes de ontem, e antes de antes de...Ah, está bem. De fato, nas últimas semanas eu vi isso em todos os meus sonhos: está escrito nas paredes, em todos os livros, em todas as placas de carro. É tudo o que eu vejo. E então eu acordo as 3:10, com o mesmo ruído.

THUD.

Bem na hora. Está vindo da esquerda.

THUD.

E está chegando perto.

THUD.

  Eu não sei o que há comigo, quero levantar e ver o que há lá. Acho que deve ser a privação do sono. Ele mexe com a sua cabeça. No começo pensei que eu é que estava fazendo esses ruídos; no entanto, agora parece que eles são reais. Eu continuo acordando com estes arranhões no meu rosto. Achei que estava ficando louco. Imaginei a mim mesmo raspando a carne de minhas bochechas enquanto estava deitado. A ideia de essas ações estarem além do meu controle me fez querer procurar ajuda. Mas eles me acham louco. Que inferno, se eu já o acho, por que não eles?

THUD.

  Mas a situação ainda é muito real. Eu provavelmente deveria ter corrido para fora do meu quarto o mais rápido possível e fechado a porta atrás de mim com muita força. Sim, é uma ótima ideia. Eu nunca fechei minha porta, mas... Não sei. A privação do sono é uma coisa insana. Aqui vou eu...

THUD.

  Definitivamente em cima de mim. Meu senso de percepção é fantástico. Eu posso ouvir o bater do meu coração. Thud, thud, thud, thud, thud, thud. É a única coisa que posso ouvir nesse silêncio. Respiro fundo e me esgueiro até o corredor.

"Se você não descer dessa porra agora mesmo," Gritei, "vou subir aí e quebrar seus malditos joelhos!"

Silêncio.

"Você me ouviu?!"

Nada.

"Certo, estou subindo."

  Normalmente eu não pensaria assim, considerando que não sabia o que estava lá. Normalmente eu recuaria para minha cama e fingiria que isso não aconteceu. Fingiria que foi tudo um sonho ruim. Era a coisa certa a se fazer agora, você não concorda? Sim, eu sei, mas é tarde demais para voltar atrás agora. Eu já puxei a escada para baixo. E isso ligou a luz. Eu não sou de fazer ameaças vazias. Então, aqui estou eu. A meio caminho para cima. Minhas mãos estão um pouco ... um pouco úmidas, por assim dizer. E suponho que não deveria ter ido nesta aventura de pijama. Mas é tarde demais para voltar atrás. Tomei uma decisão e estou preso a ela.

"Vai se arrepender, seu filho da mãe!" 

  Mesmo que esteja só apontando meus dedos para o sótão, eu ainda sinto que posso pegá-lo. Ou, ele a mim. Parece que não há ninguém aqui. Eu estou sozinho no meu sótão mal isolado. Eu provavelmente deveria ter arrumado isso. Eu poderia congelar carne de porco aqui. 

"Não adianta se esconder!" 

  Ele provavelmente está atrás da árvore de Natal. Sim, lá está ele. Eu posso vê-lo. Eu só queria que estes dedos estivessem armados. Cada passo neste tapete é como andar sobre o paraíso. Eu deveria investir um pouco mais nisso, para toda a casa. Seria ótimo. Oh, oh, ele está se movendo.

"É melhor rezar, porque ..."

  Oh, não há ninguém aqui. Há apenas algumas sacolas velhas inúteis. Por que diabos eu iria colocar sacolas no sótão? Isso é bobagem ... além do mais estas paredes são finas que nem papel. Aposto que os vizinhos pensam que eu sou um caso perdido. Eu provavelmente deveria apenas voltar para a cama antes que consiga me envergonhar ainda mais. Só espero que a minha porta não tenha se trancado novamente. Ela já fez isso antes.

  A maçaneta estava um pouco dura. Por um momento pensei que teria que dormir no sofá em vez de minha cama macia, e ninguém quer isso. Minhas costas nunca mais foram as mesmas novamente, e isso foi há três meses. Eu ainda não consigo me abaixar direito. É horrível. Eu provavelmente não devo ligar a luz. Essa é uma idéia boba. Eu vou ter que levantar para desligá-la novamente. Eu deveria ter pensado na decoração do quarto, ele é realmente muito chato. A cama está bem no canto.

  Eu me pergunto o que era aquele ruído, de qualquer maneira. Duvido que fosse uma sacola. Eu nunca ouvi falar de uma sacola que faz barulho de passos antes. Eram mesmo passos? Eu não sei o que poderiam ter sido. Eu poderia estar dormindo agora, pelo que sei. Isso poderia ser um sonho. Eu queria que fosse. Tenho que trabalhar de manhã. Costumava ser capaz de me levantar às 6 da manhã. Há, não agora. Eu só preciso voltar a dormir, e fingir que nada disso aconteceu.

THUD.

Mas que...?

THUD.

Por que está tão alto?

THUD.

Eu devo estar sonhando.

THUD.

Ah... Eu vou ter que resolver isso. Onde diabos está o meu abajur? Eu sei que está aqui em algum lugar...

THUD.

Eu senti algo bater no meu rosto, apenas algumas gotas, quase como se fosse água, mas... Não parece certo.

THUD.

Limpei o rosto com a mão, o líquido está pegajoso, quase congelado.

THUD.

Coloquei um pouco na boca. Tem gosto de sangue.

THUD.

Isso me lembra os cortes em meu rosto...

THUD.

Eu olho para o local de onde o sangue parece escorrer, mas não consigo ver nada.

THUD.

Achei meu abajur e rapidamente o liguei.

THUD.

Oh.

THUD.

Ele anda sobre o teto.

THUD.



Traduzido e adaptado por mim de: Sleep Deprivation
~Rebian

Nenhum comentário:

Postar um comentário