sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Por favor, não olhe

  Eu sei o que você está pensando.
  Esse cara é um péssimo contador de histórias, mas eu vou ter que aturá-lo.
  Você está certo.
  Histórias não são o meu forte.
  O que eu gosto de fazer é tomar um tiro no escuro.
  Unir palavras e frases a fim de provocar alguma reação; aquele sentimento de verdadeiro fascínio e descrença. A contradição absoluta de como simples palavras numa tela podem provocar uma grande variedade de emoções.
  Mas você é uma pessoa instruída, tenho certeza de que sua mente poderosa não irá sucumbir à essa mesquinhez.
  Mas eu gostaria de perguntar...
  Sobre seus medos.


  Quais são?
  Slender Man?
  Claro, ele foi jogado fora.
  Colocado sob os holofotes da sociedade e envolvido pelas garras frias da grande mídia.
  Sim... ele te assusta.
  Os detalhes arrepiantes no fundo?
  Os pictogramas do tempo dos egípcios; a arte que o descreve datada de alguns séculos atrás?
  Bem, agora que ele está sob a luz, não é assustador... Certo?
  Mas em algum momento ele foi.
  Possivelmente, a sua paranóia te levou a olhar por cima do ombro a cada 5 minutos para ter certeza de que você está sozinho.
  Ou a manter as luzes acesas para evitar que a área ao seu redor fique muito escura.
  Por quê?
  Você REALMENTE não tem mais medo do Slender Man.
  Você nunca teve.
  É o medo do desconhecido.
  O medo que se manifesta quando você está incerto sobre algo.
  Você alguma vez já ouviu barulhos a noite?
  Será que alguma vez ficou tão quieto que seus tímpanos estalam em antecipação a um som?
  Aquele sentimento doentio que você tem na boca do estômago quando está acordado em sua cama, no meio da noite, imaginando o que há a seu redor?
  É difícil dizer quando seus olhos estão focados nessa pequena tela.
  Olhe ao redor.
  Para a escuridão em torno de você.
  Você viu?
  Não?
  É claro que não. Você é superior a essa tolice.
  Você considera as formas que viu no escuro simples truques de luz.
  Depois de tudo, você continua olhando para essa tela, lendo esse conto medíocre.
  Não deixe o medo te dominar.
  Essas formas no escuro não são reais.
  Essas vozes também não são reais.
  Você está a salvo.

   ...

  Pode ouvir isso?
  Concentre-se.
  Deixe seus sentidos te dominarem.
  Feche os olhos.
  Ouviu isso?
  Bem vagamente.
  Você pode ouvir alguma coisa.
  O que é?
  Vento?
  Sussuros?
  Não, isso é absurdo.

   ...

  Sim, você não pode evitar, continua se perguntando o que há na escuridão.
  Me faça um favor; quando você ouvir algum barulho, respiração, vozes, passos... Não vá atrás.
  Nem mesmo acenda a luz para confirmar sua solidão.
  Porque nesses dias, sua sorte irá embora.
  Sua sanidade deteriorada assumirá o controle.
  E, em vez de ver o seu quarto iluminado na penumbra de seu telefone, você verá algo mais.
  Mas não se preocupe.
  Só resista ao impulso.
  E nada vai acontecer.
  Eu posso sentir aqueles grandes, grotescos olhos perto de mim agora.
  Me encarando.
  Esperando que eu olhe, que eu ceda à curiosidade.
  NÃO. FAÇA. ISSO.
  Você não vai gostar de ver o que está presente.
  Por favor.
  Pelo amor de Deus.
  Não olhe.



Traduzido de: Please Don't Look

~Rebian

Nenhum comentário:

Postar um comentário