sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Névoa

  Clichês à parte, estou com medo. Honestamente temendo por minha vida. Parece que a única maneira de me acalmar é me livrar desse peso. Agora, posso sentir um olhar gelado em cima de mim. Eu não sei de onde, mas ele penetra em minha mente. Os olhos frios e cruéis estão me olhando, me olhando de todos os lugares. Desculpe, preciso de um momento para me recompor.


  O que parece ser algumas horas atrás, eu deixei a minha casa para uma pequena excursão, uma simples caminhada nas colinas onde moro, em North Colorado. Arrumei alguns suprimentos, nada para uma longa viagem. Eu tinha certeza de que um par de barras de cereais e uma garrafa de Mountain Dew seriam suficientes para me sustentar. Deixei o carro em um estacionamento vazio separado do sopé das colinas por uma estrada e comecei a caminhar.
  Eu não me senti confortável em nenhum momento durante esta caminhada... Não sei se foi a névoa sinistra cobrindo as colinas cobertas de pinheiros ou a comida indiana que eu tinha comido na noite anterior, mas algo estava me incomodando.
  Após uma hora de caminhada, descobri um pequeno acampamento perto de uma lagoa. O acampamento fora abandonado há muito tempo e não havia sinal dos proprietários; supus que eu era a única pessoa naquelas colinas. Encontrei uma mochila perto da lagoa que continha apenas alguns pedaços de papel em seu interior. Qualquer tentativa de ler os rabiscos escritos neles teria sido inútil, mas é quase certo que foram escritos com pressa. Devolvi a mochila e seu conteúdo para o acampamento e observei a paisagem antes de continuar me embrenhando nas colinas.
  Umas duas horas mais tarde encontrei um excelente local na beira de um penhasco, com vista para quase todo o caminho de volta para a estrada onde estacionei. Eu decidi que seria um bom local para desfrutar uma barra de cereal. Sentei em uma pedra e remexi na mochila para encontrar algo que eu definitivamente não havia trazido. Minhas mãos agarraram um diário úmido, com capa de couro, em vez de uma embalagem de plástico. Puxei o diário da minha bolsa e apenas olhei para ele em choque e pavor por alguns minutos. Tanto tempo perdido.
  Não tenho certeza do que me induziu a abrir aquela coisa, mas lá estava eu.


9 de Setembro - 9:32 a.m.


  Chegamos à estrada hoje de manhã. Estou tão empolgado em finalmente passar algum tempo com a galera! (A galera é Max, Shaun, John, Tracie, Jess, e Kerri). Prestes a começar a caminhada nas colinas e encontrar um bom lugar para acampar.

3:22 p.m.


  O acampamento foi montado na floresta perto de um pequeno lago. É um local agradável, exceto por Tracie que fica jogando bolas de lama em mim. Oh, aquela garota...

8:47 p.m.


  Prestes a cair no sono. Passamos a noite inteira sentados em torno de uma fogueira, conversando. Max e John adormeceram encostados um no outro e Shaun continua assustando Jess. Tenho orgulho de ser amigo desses caras.


10 de Setembro - 1:14 a.m.


  Estou me esforçando para conseguir dormir. Eu continuo a ouvir o que soa como sussurros, mas todo mundo está dormindo. Oh, bem, deve ser o vento. Paranoia? Já? Hah.

9:05 a.m.


  Finalmente consegui uma quantia decente de sono depois de ser obrigado a ouvir aqueles barulhos sussurrantes. Pouco tempo depois de acordar, Kerri me contou sobre seu sonho. Uma porra realmente assustadora. Eu sempre me sinto tão estranho confortando meninas, mas ela parecia muito assustada.

11:55 a.m.


  Nós (Eu, Jess, Kerri, Max e Shaun) deixamos o acampamento para explorar a área. Talvez possamos encontrar uma caverna com algumas pontas de flechas ou algo assim. Heh, eu duvido. Merda, acabei me separando do grupo. Vou continuar a escrever depois que voltar ao acampamento.

4:44 p.m.


  Eu encontrei o pessoal. Nós voltamos para o acampamento. A partir do momento em que a tenda se tornou visível através da névoa, eu sabia que algo estava errado. Shaun havia desaparecido e [a escrita tornou-se visivelmente trêmula neste momento] Tracie está morta. Ela havia se afogado, seu rosto se chocou com força contra a lama no fundo da lagoa. Jess não consegue parar de chorar e Kerri está apenas olhando para o corpo, sem expressão. Não podemos pedir ajuda, sem sinal. Não podemos encontrar o nosso caminho de volta, Shaun estava com o mapa.

5:01 p.m.


  Max sugeriu que deixássemos o acampamento e tentássemos encontrar Shaun. Ninguém discutiu. Reunimos nossas coisas e saímos o mais rápido possível.


11 de Setembro - 8:41 a.m.


  Ninguém dormiu bem esta noite. Mas acho que todos nós acabamos adormecendo em algum momento. Eu fui o primeiro a acordar. Os sussurros entraram em minha mente, me forçando a acordar. Abri meus olhos para encontrar o rosto delicado de Kerri em frente ao meu. Ela parecia tão calma e tranquila enquanto dormia. Meus pensamentos foram interrompidos por gritos abafados seguidos por um alto baque molhado. Todo mundo acordou e olhou para a fonte do ruído, um penhasco com uma vista perfeita. Todos nós olhamos para o precipício, sabendo exatamente o que esperar, mas mesmo assim, não pudemos suportar o que vimos. No fundo do penhasco em uma confusão sangrenta estava Shaun, o rosto visível apenas entre o sangue e a névoa.


  Neste ponto eu fechei o livro, de repente percebendo que o penhasco com a visão perfeita era este no qual eu estava sentado. Olhei por cima da borda, apenas para ver alguma coisa coberta de névoa sobre as folhas. Sentei novamente sobre a rocha e fiquei pensei por alguns minutos. Mais tempo desperdiçado. Fui novamente impelido a continuar lendo, então eu abri o diário e continuei.


7:36 p.m.


  Max, John e Jess foram em direção à estrada para tentar conseguir alguma ajuda, deixando Kerry e eu em um pequeno acampamento perto do precipício. Ela está apenas sentada aqui, olhando para o fogo, os olhos chorosos e o rosto inexpressivo. Ela sabia o que estava acontecendo? O sonho a tinha avisado? Nós dois estamos cansados ​​demais para demonstrar qualquer emoção, muito menos falar. Eu posso ouvir os sussurros novamente. Vou tentar dormir um pouco.


12 de Setembro – 00:11 a.m.


  [A escrita nesta parte era muito perturbadora, quase como se tivesse sido riscada com garras]
  ESSES MONTES ESTÃO QUEIMANDO. DEIXE A NÉVOA LEVAR O FOGO. DEIXE A NÉVOA LEVAR O FOGO. DEIXE A NÉVOA OS LEVAR E OS ENGOLIR. ADOTAR E SUSSURRAR COM ELES. SUSSURRAR COM A NÉVOA.

  Ao terminar este trecho eu ouvi um barulho muito nítido de não muito longe, atrás de mim. Talvez uma criança pequena rindo, mas não fiquei por perto para descobrir. Corri o mais longe do precipício que eu pude. Corri por horas até que as minhas pernas cederam e desmoronei ao lado de um córrego em uma clareira. Eu tinha que terminar a leitura. Eu tinha que saber o que aconteceu. Abri a mochila e tirei a minha última barra de cereal e o diário e me preparei. Abri na próxima página para encontrar manchas alaranjadas de sangue. A letra era trêmula, muito trêmula. O medo tomou conta de mim.

7:59 a.m.


  Oh, Deus. Minhas mãos, meus braços, minha boca. Tanto sangue. Kerri? O que foi que eu fiz? Por que você não me responde? Por que merda você não quer falar!? Eu continuo te batendo e tudo o que sai da sua boca é sangue! Você não quer falar, nem mesmo um sussurro. Não é como Tracie. Tracie falou muito. Eu tive que calar a boca dela. Ela se juntou aos sussurros.
  Oh, Deus. O que foi que eu fiz.


  E aqui estou eu agora. Sozinho nas colinas, sendo constantemente vigiado. Não posso mais correr, mas preciso. Eu preciso correr antes que a névoa se instale.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Traduzido de: Mist
~Rebian

Nenhum comentário:

Postar um comentário