quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

A Piscina dos Mortos

No estado de Lucatã, no México, existe uma cidade arqueológica chamada Chichén Itzá. Durante muito tempo, no passado, ela foi a capital cultural e econômica dos Maias. Tanto que algumas das mais belas obras feitas por esse povo estão lá: A pirâmide de Kukulkán, o Templo de Chac Mool, a Praça das Mil Colunas e o Campo de Jogos dos Prisioneiros.


Outro ponto que chama a atenção nessa cidade são suas enormes piscinas naturais. Essa atração traz milhares de turistas todos os anos devido a sua grande beleza, mas essas águas guardam segredos macabros.

Dentro desses lagos existem milhares de corpos humanos decompostos! Os Maias acreditavam que, para haver uma boa colheita e ótimas chuvas, era necessário sacrificar pessoas em nome do deus Chaak, o deus da chuva. Por isso, várias vezes ao ano, alguns corpos eram jogados lá dentro, porém, antes disso, eles tinham seus corações arrancados ou eram degolados. Em casos especiais, o sacrifício era jogado vivo dentro do lago e afogado até a morte.

Para completar a cena macabra, os Maias usavam uma espécie de tinta azul, que deixa a água com essa coloração até hoje. A concentração desse material é tão grande que existe uma camada grossa de lodo azul no fundo dos lagos.

Basta um ligeiro mergulho nessas águas para darmos de cara com dezenas de esqueletos jogados por todos os cantos.
Créditos: minilua

~Carol

2 comentários: