domingo, 6 de outubro de 2013

Lendas Sinistras da 2ª Guerra Mundial pt.2

 A Segunda Guerra Mundial, que durou de 1939 a 1945, foi o conflito mais sangrento e mortífero da história da humanidade. Não surpreende, portanto, que tenham surgido muitas lendas urbanas e fatos misteriosos relacionados a esse sombrio período Aqui vão algumas: Parte 01




O Caronista Fantasma

Essa estranha história foi narrada por um mecânico de aviões americano, que trabalhava na Inglaterra.Vejam só:

"Certa noite, eu estava voltando do trabalho por volta das 02:00hs da madrugada, e quando estava a meio caminho de casa, passando através dos pântanos, a neblina estava mais pesada que o normal e eu dirigia com uma visão reduzida da estrada, sendo que o campo visual devia ser de uns 300 metros, e além dessa distância não era possível ver mais nada.

Eu tinha acabado de sair de uma parte do nevoeiro, quando vi um homem parado à beira da estrada.

Ele estava usando um macacão cinza-azulado e tinha na cabeça um capacete. Sob o seu braço parecia haver um lençol rasgado branco-acinzentado que ele arrastava atrás de si.

Eu parei o carro, mas ele parecia não me ver, ou seja, me olhava como se estivesse perdido ou em estado de choque. Pensei comigo mesmo, que coisa estranha, era tarde da noite, eu deveria falar com ele ou seguir meu caminho?

Então ele se aproximou, com aquele olhar fixo e passos vacilantes, para o lado esquerdo do carro... os faróis de repente ficaram fracos, e o motor parou.

Saí para fora e examinei o veículo, procurando a causa do problema. Então, do nada, os faróis se reacenderam e o carro voltou a funcionar normalmente. Quanto ao estranho homem... nem sinal1 Desaparecera no pãntano enevoado.

Peguei a lanterna e o procurei por algum tempo, em vão... então os cabelos da minha nuca começaram  a subir e eu fui tomado por um medo irracional... voltei para o carro, pensando que precisava sair dali imediatamente. Então dei partida e fui para casa o mais depressa que pude, mas assustado com tudo aquilo.

Alguns dias se passaram e não contei a ninguém sobre o que vira, com receio de que ninguém acreditasse no meu relato.

Passados alguns dias, voltando novamente do trabalho,  e chegando aos pântanos, naquele mesmo trecho da estrada onde eu vira o estranho homem, a polícia havia montando um bloqueio. Saí do carro para ver o que estava acontecendo.

Então um policial me disse que um fazendeiro da região encontrara um velho bombardeiro alemão da Segunda Guerra Mundial, Heinkel 111, com os restos mortais da tripulação ainda a bordo.

Aproximei-me do local onde os destroços haviam sido encontrados, e notei que os membros da tripulação do bombardeiro, ou o que restava deles, vestiam um macacão cinza-azulado e usavam um capacete de vôo de couro que parecia com os de soldadores, igual ao do homem que eu vira naquela noite.

Também um dos membros da tripulação tinha um para-quedas rasgado e desfiado perto dele, branco-acinzentado, uma ponta estava presa e esticada atrás dele, tudo indicando que aquela era a ossada do soldado, que me aparecera desnorteado no meio da neblina, que mesmo no além, ainda não entendia sua situação... isso ocorreu em 1992. "

O Submarino Nazista e o Monstro Marinho

Em 1943, no auge da Segunda Guerra Mundial, o capital do HMS Coreopsis, um navio de patrulha britânico, capturou alguns marinheiros alemães que estavam à deriva no Mar do Norte.

Ao serem rendidos pelos britânicos, os alemães não demonstraram resistência e logo se entregaram. Na verdade, pareciam aliviados em ver outras pessoas, mesmo que se tratassem de inimigos. A tripulação pertencia ao submarino UB-85 e se resumia a 14 homens. Ao serem interrogados, os prisioneiros relataram uma história medonha e inacreditável.

Segundo um oficial do submarino, a missão consistia em torpedear navios mercantes que seguiam para o continente europeu e cortar as rotas de abastecimento. O submarino estava em perseguição a um comboio, mas havia perdido o contato com a presa. O capitão dera permissão para que o submarino subisse à tona para recarregar as baterias e para que os homens pudessem respirar um pouco de ar fresco ou fumar.  Enquanto estavam na superfície, o submarino foi cercado por uma densa neblina, e logo em seguida atacado por uma enorme criatura marinha parecida com um gigante coberto de escamas de peixes.

A tripulação, surpresa para dizer o mínimo, começou a atirar contra a criatura que danificou o lacre da escotilha principal do submarino. O  oficial contou ainda que o pânico ocasionou um incêndio a bordo. Os homens conseguiram afugentar o gigante que afundou no mar, mas o submarino fora danificado a ponto de não poder submergir.

O capitão ordenou que a embarcação seguisse para o norte a fim de tentar acenar para aviões de reconhecimento.  Mas, segundo o oficial alemão, isso não funcionou devido ao mau tempo. Então o capitão decidiu explodir o submarino para não permitir que ele caísse nas mãos dos aliados. A tripulação foi evacuada em botes de emergência enquanto o UB-85 era destruído com cargas.

A parte mais sombria da narrativa dava conta que os três botes foram para o mar com 38 tripulantes. Mas apenas um desses botes foi resgatado pelos britânicos.  Os outros dois se perderam em meio a um denso nevoeiro , semelhante ao que cobriu o submarino antes de ser atacado pelo monstro.

Uma investigação formal foi conduzida para averiguar os fatos, mas nada mais se apurou desse estranho caso. A conclusão foi que o UB-85 sofrera um acidente e afundara, e os marinheiros desaparecidos, considerados baixas de guerra... Mas não foi bem assim.

O Piloto Fantasma Nazista

Sophie Dack-Steiner está apavorada com o fantasma assustador que assombra a loja de sapatos que herdou.

Em novembro de 1940, um avião da Luftwaffe, Força Aérea Alemã, caiu na Sapataria Steiner em Dorset, Inglaterra, matando os três tripulantes a bordo.  Desde então, um piloto nazista chamado Heinz assombra a loja, assustando funcionários e clientes.

A loja, que tem 100 anos de existência, pertence a família Steiner a cinco gerações. Sophie, 21 anos, herdou a loja em 2012, e desde então, tem visto coisas muito estranhas... o fantasma é agressivo, pois congelou no tempo e julga ainda estar em pleno combate.

Passos misteriosos são ouvidos, latas de graxa de sapato são arremessadas, e os funcionários se sentem observados por olhos invisíveis.

O bunker antiaéreo da Segunda Guerra Mundial na parte de trás da loja, que é trancado com cadeado, costuma abrir sózinho, caixas de sapato são reviradas no estoque, e os funcionários têm visto até mesmo a sombria figura do fantasma. Um deles disse, ' é muito assustador, nós já tivemos clientes que viram Heinz e algumas pessoas tiveram objetos arremessados contra elas. "

Créditos: sobrenatural

Nenhum comentário:

Postar um comentário