terça-feira, 27 de agosto de 2013

O Poltergeist de Rosenheim

Também conhecido como o Poltergeist de Schneider, essa infestação de atividades bizarras é uma das mais conhecidas da Alemanha.

Tudo começou no verão de 1967, no escritório do advogado Sigmund Adam. Fotocopiadoras cuspiam suas tintas, gavetas se abriam sem serem tocadas, o telefone começou a tocar mas a chamada era sempre perdida, era tão frequente que chegava a ser insuportável. Decidiu-se então chamar o serviço de manutenção da Siemens. Os técnicos trabalharam durante várias semanas e constataram que os telefones não tinham defeitos. Instalaram então um aparelho para registrar as chamadas.
Um jornal alemão instalou equipamentos para monitorar os telefones e em 3 meses eles gravaram mais de 600 chamadas para o número que informa a hora certa, porém todos os telefones estarem desplugados. Em um único período de 15 minutos, 46 chamadas foram gravadas – um número que parecia impossível levando-se em conta o mecanismo de discagem da época.
Mas não só os fenômenos com o telefone são inexplicáveis. Em outubro de 1967, todas as lâmpadas do prédio se apagaram com um estrondo. Depois de instalarem câmeras e gravadores de voz, os investigadores puderam descobrir que os eventos somente aconteciam quando a jovem de 19 anos Anne Marie Schneider (uma secretária recém-empregada) estava presente. Foi alegado que um lustre se desviava violentamente se a senhorita Schneider andasse por baixo dele, e as luzes piscavam sempre que ela entrava no escritório. Quando Schneider saiu de férias os eventos pararam. Quando retornou, a atividade poltergeist retornou. Schneider foi demitida e os problemas nunca mais voltaram a acontecer.
Na imagem abaixo Schneider está embaixo das luzes que foram vistas se desviando.
 Créditos: thecreepypasta

Nenhum comentário:

Postar um comentário