domingo, 23 de junho de 2013

Conheça os canibais da vida real

Canibais não ficam só em filmes não, vamos conhecer a lista dos que já foram presos por praticar canibalismo:

 Alexander Kinyua, de 21 anos, estudante de engenharia elétrica na Universidade de Morgan, no Estado de Maryland, contou para a polícia local que comeu o coração e parte do cérebro de Kujoe Bonsafo Agyei-Kodie, de 37 anos, um ex-aluno ganês da mesma universidade. As informações são do jornal The Baltimore Sun.As suspeitas pelo assassinato recaíram sobre Kinyua quando as mãos e parte da cabeça da vítima foram encontradas em sua casa, no condado de Harford. Através de investigações, foi descoberto que o resto do corpo de Kodie foi deixado em um recipiente de lixo próximo de uma igreja da comunidade.Kujoe Bonsafo Agyei-Kodie havia sido visto pela última vez no dia 25 de maio, quando saiu de casa para uma corrida. As primeiras pistas para o misterioso desaparecimento surgiram quando Alexander Kinyua, pai do assassino, reportou a existência de restos humanos enrolados em um cobertor na lavanderia da própria casa.

Em 26 de maio de 2012, Rudy Eugene, 31 anos, foi morto pela polícia após se negar a parar de comer quase todo o rosto de sua vítima, o morador de rua Ronald Poppo, 65 anos. O crime aconteceu sob a ponte de uma movimentada autopista de Miami, no Estado americano da Flórida. O assassino foi apelidado de “Zumbi de Miami”

Nicolas Cocaign, conhecido como o "canibal de Rouen", matou um companheiro de cela e comeu parte de seus pulmões em 2007. Em seu julgamento, ele afirmou que um impulso sexual o levou a matar seu companheiro e a "curiosidade" sobre o gosto da carne humana a praticar o canibalismo. Ele foi condenado a 30 anos de prisão em junho 2010.

O cozinheiro britânico Anthony Morley matou o seu amante após os dois terem relações sexuais em abril de 2008. Morley cortou o corpo de Damian Oldfield em seis peças e as cozinhou com ervas e azeite de oliva. Contudo, ele disse que jogou fora a carne porque ela não estava ao seu gosto. Morley, que venceu o concurso Mr. Gay Reino Unido em 1993, foi condenado à prisão perpétua no mesmo ano.

Stephen Griffiths foi preso em maio de 2010 acusado de matar três prostitutas na cidade de Bradford, no norte da Inglaterra. Ele ficou conhecido com o “canibal da besta”, por utilizar a arma (uma espécie de arco-e-flecha) em seus crimes. Em sua primeira aparição no tribunal, ele se apresentou ante ao juiz com o codinome que recebeu da imprensa.

O escritor de histórias de terror mexicano José Luis Calva Zepeda foi preso em outubro 2007 acusado de matar e comer os restos mortais de Alejandra Galeana Garavito. A polícia encontrou o corpo da mulher cozinhando em uma panela no apartamento de Zepeda. O escritor admitiu o assassinato, mas negou o canibalismo, dizendo que deu os restos da amante para o seu cachorro. Ele se enforcou na prisão dois meses após ser preso.

O britânico Paul Durant confessou ter matado, esquartejado e comido pedaços do corpo de sua namorada, Karen Durell, em janeiro de 2004 no balneário espanhol de Calpe. Ele foi preso um mês após o crime. De sua cela, ele escreveu cartas dizendo que vozes que emanavam de sua televisão o mandaram cometer o crime. Em novembro de 2007, ele foi condenado a 12 anos de prisão.

O empresário indiano Mohinder Singh e seu empregado Surender Koli foram presos em dezembro de 2006 acusados de assassinar, violentar e tentar comer 19 crianças após a polícia encontrar ossos e restos humanos embalados em sacos de plástico na casa de Singh, na cidade de Noida. Os dois foram condenados à morte em fevereiro de 2009 no julgamento de uma das vítimas, mas Singh foi mais tarde inocentado. Contudo, eles ainda aguardam julgamento de outros casos.

O alemão Armin Meiwes, conhecido como o “canibal de Rotemburgo” foi condenado à prisão perpétua em 2006 por assassinar, esquartejar e comer um homem que conheceu na internet em março de 2001. O crime ocorreu após a vítima, Bernd Brandes, responder a um chamado de Meiwes, que procurava alguém para se deixar matar e ser devorado por ele.

O americano Kevin Ray Underwood foi preso em 2006 acusado de matar, abusar do corpo e planejar comer os restos mortais de uma menina de 10 anos na cidade de Purcell, no Estado do Oklahoma. Após confessar o crime, ele foi condenado à pena de morte em março de 2009.

O ucraniano Andrei Chikatilo ficou conhecido como o “Açougueiro de Rostov”, na Rússia, pelos assassinatos de mais de 50 mulheres, crianças e adolescentes desde 1978 e até o início dos anos 90. Em 1992, ele foi condenado de matar, molestar, mutilar e comer os restos de algumas de suas vítimas. Chikatilo foi executado em fevereiro de 1994.

Fonte: Terra

Esses são os de fora, e aqui no Brasil teve um caso bizarro que aconteceu em 2012 e foi notícia mundial.

Canibais faziam empadas com carne das vítimas, um homem e duas mulheres, que foram presos por homicídio e canibalismo na cidade de Garanhuns (terra natal do ex-presidente Lula da Silva), interior do estado brasileiro de Pernambuco, usavam partes dos corpos das pessoas que assassinavam para fazerem empadas e outros salgados, que depois vendiam.De acordo com o inspector Wesley Fernandes, da polícia local, o trio faz parte de uma seita satânica denominada ‘Cartel', que mata pessoas por considerar que o Mundo está muito povoado e cheio de pessoas ligadas ao mal, que precisam ser destruídas.

As vítimas, duas delas encontradas esquartejadas e enterradas no quintal da casa onde viviam num triângulo amoroso os três acusados (Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, 51 anos, e as suas duas mulheres, Isabel Cristina Pires da Silveira, da mesma idade, e Bruna Cristina Oliveira da Silva, de 25), eram atraídas pelos acusados com promessas de emprego e executadas pelo homem, cinturão negro em artes marciais. Depois de cometer os homicídios, o trio comia o fígado e o coração das vítimas, desmembrava os corpos, retirava entre oito a 10 quilos de carne para fazer as empadas, que eram vendidas na região, e enterrava o resto.

Uma menina de cinco anos, que a polícia acredita ser filha de outra vítima do trio, Jessica Camila da Silva Pereira, assassinada noutra cidade de Pernambuco, Olinda, em 2008, vivia com os homicidas e assistia aos crimes. Os criminosos ficaram com a criança como se fosse filha deles, obrigavam-na a comer carne humana e a ajudar no desmembramento dos corpos, como a criança contou em detalhes à polícia.

 O trio foi descoberto depois de as famílias das últimas vítimas, duas jovens de 20 anos, apresentarem queixa do desaparecimento delas, sendo que os cartões bancários e de crédito continuavam a ser utilizados. Ao ver as imagens das lojas onde tinham sido feitas compras com os cartões das jovens desaparecidas, a polícia conseguir identificar os culpados.

Inicialmente os três negaram mas, com informações dos vizinhos e da própria criança, foram descobertos os dois corpos enterrados no quintal, que, supostamente, pertenceriam a Giseli Helena da Silva e Alexandra da Silva Falcão. No seu depoimento, Bruna Cristina, a única acusada que confessou os crimes, contou que era uma "entidade" espiritual que lhes indicava as pessoas a serem executadas quando passavam por elas na rua.


                                           (Foto do trio que usava carne humana nas empadas)

Um comentário:

  1. Eu queria saber o nome do filme em que uma mulher começa a matar seus amigos através de uma caixa. Nessa caixa ela coloca a foto da pessoa e sai um boneco. E o que ela faz com o boneco acontece com a pessoa.

    ResponderExcluir